segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Guess ...

... com belas fotografias de Ellen von Unwerth, para a colecção Primavera 2011.

Amei esta série a P&B, uma encanto de imagens, cheias de nostalgia de outros tempos, e que nem a ausência de cor retira a frescura da brisa primaveril.










domingo, 30 de janeiro de 2011

Prémios de design ...

... da conceituada revista britânica Wallpaper Magazine publicados na edição de Fevereiro [7ª edição].

Acabam de ser anunciadas as melhores criações do design de interiores no ano de 2010, nomes como Foscarini, Kartell, Alessi, Magis, Flos e Kettal são algumas das marcas prestigiadas com a distinção na categoria ‘Best Domestic Design’.

Do conceituado júri fazem parte nomes como o artista plástico e escultor Marc Quinn, o estilista Raf Simons, ou o arquitecto e designer Mario Bellini e ainda Natalie Massenet, Michael Nyman e Pharrell Williams.

Uma das criações seleccionadas por este júri foi a cadeira ‘Comback chair’ de Patricia Urquiola para a Kartell, lançada na Feira Internacional de Mobiliário de Milão em Abril. Esta criação da designer espanhola, revisita a clássica ‘Windsor chair’ do século XVIII.


Thanks girls ...

... há muito que não me divertia tanto !!









sábado, 29 de janeiro de 2011

Khuong Nguyen

... volta a trabalhar para Christian Louboutin.

Desta vez a nova colecção intitula-se “Louboutin Spring Summer Tour“, com excelentes fotografias muito dinâmicas, divertidas e bastante coloridas.







O ano passado as fotomontagens de Khuong Nguyen para a colecção Outono/Inverno de Christian Louboutin, baseada em contos de fada clássicos da infância, foram um sucesso, conseguiu obter imagens que representavam um universo lúdico, cheio de elementos gráficos e muita fantasia, no qual os sapatos interagiam.









sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Noite de ...

... Chocolate Quente e Cremoso !

Pois é hoje lá fui com uma amiga "pecar" ... mas que bem nos soube aquele chocolate quentinho e cremoso :P
Quando quiserem há em São João da Madeira um espaço com estas e outras delicias. Chama-se CHOCOLATE&CHOCOLATE e fica na Avenida Renato Araújo ...

by internet

Urgente ...

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

ELOGIO ao AMOR

por Miguel Esteves Cardoso

Quero fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão. Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado.

Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria.

Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e à mínima merdinha entram logo em "diálogo". O amor passou a ser passível de ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios. Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões. O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática. O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.

Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço. Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje.

Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de telefoneiros e capangas de cantina, malta do "tá tudo bem, tudo bem", tomadores de bicas, alcançadores de compromissos, bananóides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas. Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo?

O amor é uma coisa, a vida é outra. O amor não é para ser uma ajudinha. Não é para ser o alívio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida, o nosso "dá lá um jeitinho sentimental". Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos. Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice, facada, abraços, flores. O amor fechou a loja. Foi trespassada ao pessoal da pantufa e da serenidade. Amor é amor. É essa beleza. É esse perigo. O nosso amor não é para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode. Tanto faz. É uma questão de azar. O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto.

O amor é uma coisa, a vida é outra. A vida às vezes mata o amor. A "vidinha" é uma convivência assassina. O amor puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima. O amor não se percebe. Não dá para perceber. O amor é um estado de quem se sente. O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende. O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessária. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser. O amor é uma coisa, a vida é outra. A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida. A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem.

Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz. Não se pode ceder. Não se pode resistir.

A vida é uma coisa, o amor é outra. A vida dura a vida inteira, o amor não. Só um mundo de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Blowing in the wind ...

... pela bela voz de Katie Melua.

Vamos lá votar ...

... nos Bettershell, uma banda sanjoanense no Festival da Canção!

Há um ano apelava ao voto nos TROCOPASSO, que acabaram por estar presentes no Festival da Canção 2010. Este ano quero que, todos vocês que por este cantinho passam, votem nos BETTERSHELL que participam com a canção "Um Sinal" (Letra: Isaías Ricardo de Oliveira/ Música: Bettershell).


Para além do vocalista, Isaías, ser um ex-aluno meu, e alguém por quem tenho muita admiração e que gostaria de ver apurado para o FESTIVAL da CANÇÃO 2011.

Vai caber ao público seleccionar os finalistas para o 47.º Festival da Canção. Por isso toca a divulgar e a VOTAR nos BETTERSHELL.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Cripta da Sagrada Família ...

... em Barcelona com pavimentos da CORTICEIRA AMORIM.



Idealizada pelo arquitecto catalão, Gaudí., a Sagrada Família é um ex-líbris de Barcelona e um dos monumentos mais visitados de todo o mundo, uma catedral católica que se impõe pela sua grandiosidade.

Acabou de levar os pavimentos de cortiça da Wicanders®, marca premium da Amorim Revestimentos, uma escolha da equipa de arquitectos responsável pela conclusão desta obra-prima de Gaudí.

Jordi Bonet i Armengol, arquitecto que lidera actualmente esta imponente obra, justifica a escolha de pavimentos de cortiça pelo total alinhamento com a filosofia de Gaudí - que defendia e utilizava fundamentalmente materiais naturais - e acrescenta “sempre considerei a cortiça um excelente material, tanto que a utilizei em diversas obras idealizadas por mim. Sempre que usei cortiça tive bons resultados e do ponto de vista económico é também uma opção muito interessante. Acredito na solução e na resistência da cortiça.”

O revestimento eleito diferencia-se pela incorporação de cortiça também ao nível do visual. Além das características de conforto, amplamente reconhecidas, a capacidade de absorção acústica, proporcionada pela utilização de cortiça nos revestimentos, revelou-se determinante para a selecção.

O arquitecto responsável diz ainda sobre a cortiça “não apodrece, é asséptica, confortável ao caminhar, apresenta níveis de conforto térmico muito superiores ao mármore, o que evita a necessidade de instalar aquecimento artificial. Além disso, como num projecto com esta dimensão a acústica é importantíssima, não hesitei em optar por cortiça. ”

No total, foram aplicados cerca de 2.000 m2 de Corkcomfort na cripta da Sagrada Família, espaço do templo que foi declarado Património Cultural da Humanidade pela Unesco.

Iniciada em 1882, a Sagrada Família está num processo contínuo de construção, prevendo-se a sua conclusão em 2026, ano do centenário da morte de Gaudí.

Fonte: www.wicanders.com

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

"Porque hay cosas que nunca se olvidan"

... Curta-metragem espanhola entra para o Guinness como a mais premiada de sempre.


Do realizador Lucas Figueroa, filho de espanhóis mas natural da Argentina, conta uma história de terror e humor que nos últimos dois anos tem viajado pelo circuito dos festivais.

Entrou para o Guinness como a curta-metragem que mais prémios ganhou, ao todo 259 galardões. Um filme de 13 minutos em que o futebol é a razão de um desfilar de humor negro, "O humor negro é o mais universal que há. Esse tem sido o seu gancho em todo o mundo", disse Figueroa sobre o filme.

"Porque hay cosas que nunca se olvidan" ("Porque há coisas que nunca se esquecem", em tradução livre), foi rodado em Segóvia e ambientado na Nápoles de 1950.

domingo, 16 de janeiro de 2011

Kissing Sailor ...

… uma das fotos mais famosas do mundo tirada pelo foto-jornalista de Alfred Eisenstaedt.


Nesta fotografia que foi destaque da revista Life e de outras noventa publicações do mundo inteiro, pode-se observar uma enfermeira a ser beijada por um marinheiro durante comemoração do fim de Segunda Guerra em Times Square, Nova York no ano de 1945.

Sabe-se agora que este marinheiro é português, mais precisamente um madeirense que se chama George Mendonsa actualmente com 88 anos.

No artigo do DN pode-se ler “… O filho de madeirenses mostra agora quatro fotografias diferentes, onde é possível ver uma bela morena atrás do casal que dá o beijo. O veterano explica que o nome da desconhecida é Rita Petry e começa a desenhar a sua relação com esta imagem: esta mulher, que não ocupa o centro do olhar, era sua acompanhante naquele dia.
George abandona as imagens e agarra um dossier de 2005 com a chancela do Naval War College. É uma investigação realizada no Mitsubishi Electric Research Lab (MERL), em Cambridge, liderada pelo especialista em análise fotográfica e antigo reitor da Escola de Artes da Universidade de Yale, Richard M. Benson. Ao longo de várias páginas, vêem-se imagens de uma tatuagem e uma cicatriz a serem comparadas com duas sombras nos braços do marinheiro. Depois, imagens coloridas e a três dimensões de um crânio. Na última página, conclui-se «com um razoável grau de certeza» que o portador da tatuagem e da cicatriz é o marinheiro da foto.
George pousa o dossier e arregaça as mangas. Distingue-se uma cicatriz num braço; no outro, um G e um M, as suas iniciais. Não há dúvida. George é o marinheiro.”
In Diário de Noticias (16.11.2011), por Alexandre Soares

Pimenta & Chocolate


É um pequeno pedaço de céu no que respeita ao requinte gastronómico que fica em plena Rua de Cedofeita, bem no coração do Porto.

A conselho de uma colega, escolhemos o Pimenta & Chocolate para fazer um jantar de grupo, um restaurante conhecido pela utilização de toques de pimenta rosa em todos os pratos e pelas sobremesas de chocolate.

Uma boa escolha uma vez que o serviço foi óptimo, pratos com inspiração na cozinha tradicional portuguesa, mas com toques de autor, uma espécie de obras de arte apresentados com desenhos de chocolate (bem quase todos pois o Arroz de Tamboril e Gambas com Ervas Aromáticas, não possui esses detalhes).

O espaço apesar de pequeno é muito acolhedor com música ambiente, onde sobressai a decoração cuidada, como o curioso chão em vidro com garrafas por baixo.

O grupo experimentou os seguintes pratos, todos eles excelentes:

Bifinhos de Porco Preto com Pimentos Patron e Arroz de Setas

Strogonoff de Peru com Arroz Arábe

Arroz de Tamboril e Gambas com Ervas Aromáticas

Mas o que fez a delicia da maioria foi mesmo a famosa sobremesa que dá o nome à casa: o Bolo de Chocolate com Mousse e Pimenta Rosa.



carinha de sofrimento por não conseguir terminar a deliciosa sobremesa :)

Outras sobremesas como a Pera Embriagada e o Bolo Brigadeiro também foram apreciadas.


Restaurante Pimenta & Chocolate
Rua de Cedofeita, 652
4050-178 Porto

Telefone: 931 169 875
Related Posts with Thumbnails