sexta-feira, 29 de julho de 2011

Amanhã Caminhada pelo Chapéu ...

... em S. João da Madeira, com a presença das ex-atletas Rosa Mota e Manuela Machado.


Esta iniciativa de sensibilização, é organizada conjuntamente pelo Museu da Chapelaria, pela Associação dos Amigos do Museu e pela Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo, pretende chamar a atenção para os malefícios do Sol.

Vamos fazer do Sol um amigo! OBRIGATÓRIO o uso de CHAPÉU e T-SHIRT e protector solar.

sábado, 23 de julho de 2011

Roteiro do Barroco

Portugal já tem um !!


O mais recente roteiro turístico editado pelo Turismo de Portugal é dedicado ao Barroco e tem por objectivo dar a conhecer os tesouros deste estilo artístico, verdadeiras manifestações ímpares do património nacional. Monumentos, sítios e objectos artísticos, num total de 44 referências segmentadas por regiões turísticas, foram seleccionadas nesta iniciativa, muitos dos quais, ainda desconhecidos do grande público como, por exemplo, a Casa do Raio (Braga), a Igreja do Menino Deus (Lisboa) ou a Igreja de São Lourenço de Almancil (Algarve).

O barroco, arte europeia caracterizada pela ornamentação exuberante, teve o seu apogeu, em Portugal, durante o reinado de D. João V (1706-1750), época em que o ouro e os diamantes brasileiros constituíam a principal fonte de riqueza do reino.

Com a edição desta brochura, o Turismo de Portugal pretende contribuir para um melhor conhecimento do barroco português, um estilo artístico que desenvolveu expressões inéditas a nível de azulejaria e da talha dourada e que marcou um período histórico designado como a “idade de ouro” de Portugal.

Este roteiro surge na sequência de mais um projecto internacional da organização não-governamental Museu Sem Fronteiras, versando a arte barroca, que juntou Portugal, Alemanha, Áustria, Croácia, Itália, Hungria e República Checa. A iniciativa surge no seguimento do desenvolvimento de acções em Portugal, ao nível da arte islâmica e do manuelino.

+ info www.visitportugal.com

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Lucian Freud ...

... o pintor do corpo e da carne, faleceu aos 88 anos.


Lucian Freud distinguiu-se na arte figurativa, nomeadamente através das suas representações cheias de corpos nus, sendo considerado até à o artista vivo mais caro do mundo.

Neto do célebre psicólogo Sigmund Freud, Lucian emigrou, com a família, da Alemanha para Inglaterra no início dos anos 30 para fugir ao regime nazi, tendo adquirido naturalidade britânica em 1939.

Lucian Freud aproximou-se, numa primeira fase, da estética do surrealismo, mas durante os anos 1950 muda de registo estilístico. Começa a pintura de retratos, geralmente de nus humanos acompanhados de objectos, recorrendo à técnica de impasto.


“Eu pinto as pessoas não pelo que elas parecem, não exactamente como elas são, mas como elas deviam ser”, disse o autor das pinturas.

“Eu quero que a pintura seja carne. Para mim o quadro é a pessoa”, disse em 2010, acrescentando que, embora apreciasse o orgânico, não lhe chegava reproduzi-lo. A “intensificação do real” foi o caminho que escolheu para pintar o “lado animal” do corpo humano.


O seu quadro, de 1995, Benefits Supervisor Sleeping, representando uma mulher obesa e com feridas, dormindo nua num sofá, foi vendido, em 2008, ao milionário russo Roman Abramovich, por 34 milhões de dólares (23 milhões de euros).

Fonte: O PÚBLICO

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Anéis Olímpicos ...

... Portugueses ganham concurso para pavilhão informativo dos jogos de 2012.


Uma equipa portuguesa, constituída por José Carlos Cruz, Inês Guedes, Miguel Santos e António Cruz, foi a primeira classificada no Concurso Internacional para a concepção de um pavilhão de informações a implantar em Trafalgar Square sobre os Jogos Olímpicos de Londres – 2012

Segundo o portal da Ordem dos Arquitectos, e o site oficial do concurso, o pavilhão inspira-se nos anéis olímpicos, que se elevam numa construção que informa, onde é possível fazer compras, descontrair e “tomar um copo”.

Os anéis são coloridos com as cores da bandeira olímpica, e simbolizam os continentes.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Talasnal ...

... uma das Aldeias de Xisto de Portugal.



Avistar ao longe o Talasnal, com o Trevim (o ponto mais alto da Serra da Lousã com 1205 metros) como fundo, é um quadro fantástico.

No passado dia 9 de Julho tivemos mais um encontro de antigos colegas e professores da Serafim Leite, e desta vez partimos à descoberta de uma das Aldeias de Xisto da Serra da Lousã.

Apesar do percurso ser feito por caminhos quase inacessíveis foi uma excelente descoberta. Partimos do Castelo, Monumento Nacional situado mesmo em frente à Ermida de Nossa Senhora da Piedade .


Sempre a subir fizemos cerca de seis quilómetros e meio, rodeados pelo silêncio, o verde e a imensidão da paisagem. A encosta íngreme quase nos sufocava só de olhar, mas devagar tudo se fez. Começamos ao longe a ver a aldeia do Talasnal, considerada por muitos como a mais bonita e mais bem preservada.





Precorremos as ruas da aldeia, matamos a secura n' "O CURRAL" um bar bastante engraçado e segundo soube mais tarde tem um Licor de Castanha que é imperdível ... na próxima visita temos que experimentar !!


No regresso é sempre a descer, para quem tem vertigens é um perigo, passamos ao longo do vale da Ribeira de S. João e pela Central Hidroeléctrica da Lousã. Escutamos o som da água que corre cheia de pressa e avista-se a Capela da Senhora da Luz que parece inacessível. Uma descida a doer !!!



domingo, 10 de julho de 2011

O BURGO

Um sítio onde podemos descansar os olhos e alimentar a gula ....



Fomos encontrar o restaurante “O Burgo” numa dobra da Serra da Lousã junto à estrada do Castelo. E podemos agora afirmar que é um ponto de paragem obrigatório para os que apreciam os bons sabores tradicionais e as paisagens magníficas.


Construído em 1989, numa antiga azenha abandonada, dedica-se a receitas e sabores tradicionais da Serra da Lousã. Inserido no o Complexo Natural de Nossa Senhora da Piedade, um vale quase encantado, junto ao rio que ali passa, do qual se destacam as piscinas fluviais e um complexo religioso muito bonito, situado na parte superior que se caracteriza pela existência de um castelo medieval (século XI).




O ambiente do restaurante é muito rústico, lareira e peças decorativas em barro e ferro, fazem deste um lugar acolhedor, aliado à simpatia e profissionalismo dos funcionários.

Abundam os sabores fortes e os ingredientes característicos de uma zona rural que subsiste da conjugação entre a agricultura e a caça, e os produtos de fácil armazenamento: as couves serranas, os tortulhos, o mel, o javali, o feijão frade, a cabra, as abóboras, o bacalhau, todos desempenham um papel fundamental para a confecção dos pratos característicos, cujos nomes, só de os pronunciar, fazem crescer água na boca e o desejo irresistível de os saborear: bacalhau com migas, sopa de castanha, petinga frita com papas laberças, peixe na telha, sarriscos da matança, cabrito grelhado, cosido do talasnal, espeto de boi com arroz de feijão, veado com tortulhos, javali com castanhas, coelho com castanhas … entre outros.






As entradas são também genuínas e de grande qualidade: favas com chouriço, pataniscas, bacalhau e grão, são apenas alguns exemplos do que é servido antes do prato principal.


E as sobremesas ... é melhor nem dizer nada, basta verem a fotografias. No entanto algumas delas tem nomes bem interessantes: pêra bêbeda, papos de anjo, seios de noviça, farófias, requeijão com mel, requeijão com doce de abóbora, tigelada lousanense, pudim de mel e castanhas, migas de abóbora com amêndoa ...





terça-feira, 5 de julho de 2011

Um segredo ...

... dito a mais de 35 m de distância e que se ouve como se a pessoa estivesse colada ao nosso ouvido. Fantástico !!

Pois é graças ao meu primo João Carlos, ficamos a saber e podemos experimentar in loco se funcionava ou não :)
Na parte final do "Museo de les Ciències Principe Felipe" existe um arco com mais de 35 metros que possui a caracteristica de difundir o som. A Teresa encostou-se a uma extermidade e eu a outra, ela falou baixinho para a parede e eu ouvi na perfeição e respondi baixinho também ... loll ... ah pois o que dissemos é segredo !!!

A Razão das Coisas




Na passada sexta-feira, pelas 18:30, estive presente na sessão de inauguração conjunta da Exposição "A Razão das Coisas”, de Júlio Pomar, Gérard Castello-Lopes e José M. Rodrigues, que contou com a presença de Júlio Pomar.



 Esta exposição reúne um conjunto de fotografias de Gérard Castello-Lopes e José M. Rodrigues a partir de esculturas e “assemblages” de Júlio Pomar. Uma exposição que se prolonga desde a Galeria dos Paços da Cultura até à Sala Polivalente da Biblioteca.

Ficará patente ao público até 7 de Outubro.

Comissariado: Luisa Costa Dias (SERRALVES)
Apoio: BPI

domingo, 3 de julho de 2011

Cidade das ...

... Artes e das Ciências em Valência

Há muito que desejava conhecer esta obra do arquitecto Santiago Calatrava.

A “Ciutat de les Arts i les Ciències” é um deslumbrante complexo de pavilhões, com uma aparência futurista, diferente de tudo o que já tinha visto. Apesar de Valência ter muito mais que visitar, atrevo-me a dizer que vale a pena ir a Valência apenas para conhecer a “Ciutat des les Arts”.
Mas este magnífico projecto não é apenas de Santiago Calatrava foi conjuntamente com Felix Candela, também espanhol, que desenvolveram e criaram este monumental conjunto de pavilhões imaculadamente brancos rodeados por um enorme espelho de água azul-turquesa.


Construídos para incentivar as artes, as ciências e a natureza, é um prazer deambular por toda a área desta cidade futurista.
Começamos logo pela manhã e só terminamos ao fim da tarde, para conhecer todo o espaço mas visitando apenas o interior de dois dos pavilhões. Um foi o “L’Oceanografico”, que nem a fila grande nos assustou, e optamos também por adquirir bilhete conjunto para visitar o “L’Hemisfèric” (26,65 €).

O primeiro edifício que avistamos ao chegar à cidade foi o “Palau des les Arts Reina Sofia”, um espaço que abre apenas para concertos, apresentações musicais ou exposições. Parece saído de um filme de ficção uma enorme nave espacial :).


Palau des les Arts Reina Sofia

Um pouco mais à frente, depois da ponte, encontra-se o “L’Hemisfèric”, que parece um enorme olho, existindo no seu interior um cinema IMAX onde são projectados filmes em 360 graus com duração média de uma hora sobre temas ecológicos.


L’Hemisfèric

Logo de seguida fica o “L’Umbracle”, um fantástico jardim de onde se tem um ponto de vista excepcional para o conjunto dos pavilhões do CAC. Com uma vegetação típica da região mediterrânea, esse enorme oásis também abriga exposições de esculturas contemporâneas.




L’Umbracle

O “Museo de les Ciències Principe Felipe” que fica mesmo em frente ao “L’Umbracle” possui modernos recursos de multimédia e um divertido acervo interactivo. Este museu converteu-se numa referência mundial da Ciência Interactiva, tendo como principal objectivo fomentar a curiosidade e o espírito crítico, supreendendo e divertindo o público através dos conteúdos que oferece (ciência, tecnología e meio ambiente).





Museo de les Ciències Principe Felipe

Antes de chegar ao “L’Oceanografico” encontramos um edifício multifuncional que se chama a “L'Àgora”  …

L'Àgora ... lá ao fundo :P

Um pouco mais adiante, “L’Oceanografico”, a atracção mais procurada da Cidade das Artes e Ciências. Dividido em pavilhões independentes, um para cada mar do nosso planeta e seus respectivos ecossistemas. Estivemos lá dentro mais de 3 horas :) e não vimos o show dos golfinhos.





L’Oceanografico

Tive pena que não fomos lá uma noite, iria dar uma fotografias fantásticas … mas na próxima vez que for a Valência uma noite será para a “Ciutat de les Arts i les Ciències”.
Related Posts with Thumbnails