domingo, 27 de novembro de 2011

Kacper Kowalski

... fascinantes as suas fotografias aéreas.

Algumas das fotos da série "Polish Patterns - Spring in 9 squares"

Kacper Kowalski é famoso pelo seu trabalho no segmento de fotografia aérea, destaque para a série “Day on the Beach” realizada em 2008 e que mereceu o 2º lugar no World Press Photo de 2008 para a categoria Arts and Entertainment / Stories. "Day on the Beach" é uma série de fotografias que documentam a agitação da actividade de uma pequena praia, desde de manhã ao por do sol.

Algumas das fotos da série “Day on the Beach”

Em visita ao seu site encantei-me com o seu trabalho, em particular com uma série - "Polish Patterns - Spring in 9 squares" - são enquadramentos da natureza vista bem na horizontal. Mas existem muitos outros trabalhos para descobrir no seu site oficial.

Fonte: OBVIUOS

O Fado ...

... já é Património Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO).


O fado já não é apenas a canção de Portugal, a canção de Severa, Marceneiro, Amália, Carlos do Carmo, Camané e Carminho - é um tesouro do mundo. Um tesouro que fala de Portugal, da nossa cultura, da nossa língua, dos nossos poetas, mas que também tem muito de universal nos sentimentos que evoca: a dor, o ciúme, a solidão, o amor. 

O fado apresentou-se à UNESCO como “símbolo da identidade nacional” e “a mais popular das canções urbanas” portuguesas, tendo por embaixadores dois intérpretes que, por motivos bem diferentes, fazem parte da sua história de forma incontestada: Carlos do Carmo e Mariza.

O Fado - a canção que deve a Amália os primeiros grandes esforços de internacionalização - é uma das 49 candidaturas a património imaterial da humanidade que estão a ser avaliadas por delegados de 24 países até ao dia 29.
A lista do património imaterial - uma designação que abrange tradições, conhecimentos, práticas e representações que fazem a matriz cultural de um país e que, juntas, formam uma espécie de tesouro intangível do mundo - tinha até à reunião de Bali 213 bens de 68 Estados, como o tango ou o flamenco, só para falar em dois exemplos de universos semelhantes. O fado é o primeiro bem português, mas, se tudo correr bem, já não faltará muito para que o cante alentejano lhe faça companhia.

A distinção do Fado como Património da Humanidade deverá gerar um Plano de Salvaguarda, um Plano Pedagógico e um Plano de Edição e de Investigação.

A visitar: www.museudofado.pt

Fonte: Público e Agência Lusa

sábado, 26 de novembro de 2011

Aelita Andre

... uma artista com apenas quatro anos de idade!


Fez-me recordar uma citação de Plabo Picasso: "Levei quatro anos para pintar como Rafael,mas uma vida inteira para pintar como uma criança."

É incrivelmente fascinante ver o que esta criança pode fazer com telas coloridas, cola, muita tinta, e outros materiais. Existe uma alegria e prazer no acto de pintar, a sensação das tintas e processo de combinar cores. As suas pinturas irradiam energia, vitalidade e beleza.



Os pais de Aelita Andre, ambos artistas, estão certos de que a filha é uma pintora abstrata expressionista. Natural da Austrália já rasteja pelas telas desde os 9 meses de idade. Até à data já pintou mais de 200 pinturas, a maioria em grande formato.

O crítico de arte australiano Robert Nelson e Professor Associado da Monash University, diz, "a arte Aelita é um antídoto para as qualidades opressivas da expectativa na pintura ocidental.", Aelita pinta com um "olho inocente"

Para saber mais: www.aelitaandreart.com

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

PaperGraphic

... elaborados manualmente por Yulia Brodskaya.


Na era do software de desenho e de edição de imagem surgem por vezes propostas que remam contra a maré e trazem uma lufada de ar fresco.

É o caso dos trabalhos em papel de Yulia Brodskaya que são exclusivamente manuais, assumidamente retro mas indiscutivelmente belos. Eu amei !! :)



O seu nome deixa adivinhar: Yulia Brodskaya é russa. Nascida em Moscovo e radicada em Londres desde 2006, começou a ganhar reputação internacional com os seus trabalhos feitos em papel com uma técnica a que chamou PaperGraphic e que consiste em conceber ilustrações em que as linhas e formas são feitas de papel. E se à primeira vista esta técnica nos parece limitada, a criatividade, a variedade de efeitos e as combinações que consegue obter logo afastam essa ideia. Que o digam clientes como The Guardian, New York Times Magazine, Wired, Nokia, Starbucks, etc. para quem Yulia Brodskaya já realizou diversos trabalhos de design gráfico.



Quando parece já não haver lugar para todo o design que não seja feito com meios digitais, surgem estas ilustrações surpreendentes, belas e originais, que trazem um novo fulgor ao mundo do design gráfico.

Há um certo ar retro e psicadélico em todas as composições, a lembrar ilustrações dos anos 60 e 70. Os trabalhos de Yulia Brodskaya são realizados de forma artesanal, com muita minúcia, combinando não apenas papeis mas toda a espécie de materiais bidimensionais que se possam cortar com uma lâmina ou tesoura, nomeadamente tecido e fibras têxteis. Com o regresso do artesanato à publicidade, regressou também a poesia.

Não deixem de visitar o site (http://www.artyulia.com) onde se podem encantar com muitos dos seus trabalho.

Fonte: http://obviousmag.org

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Saudades do mar!!

“A cura para qualquer mal está na água salgada: suor, lágrimas ou um belo mergulho no mar.” Isak Dinesen

A Perspectiva das Coisas

... A Natureza-Morta na Europa. 1840-1955


Neil Cox, o comissário científico da exposição 'A Natureza-Morta na Europa. 1840-1955', fala sobre os desafios na concepção da categoria da natureza-morta na era moderna e sobre o desenvolvimento da exposição, patente até 8 Jan 2012 na Galeria de Exposições da Fundação Calouste Gulbenkian.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

2 em 1 ...

... uma ideia fantástica, daqui a uns anos quero uma para passear o primeiro neto :P

Momentos ...

... SuperBock :)


2008, Filmado no Porto
Realizador: José Pedro
Ministério dos Filmes
Música: Brandi Carlile - The Story

"A Super Bock arrancou com uma campanha de publicidade, em televisão e cinema, que pretende reforçar a associação da marca aos "momentos autênticos da vida". Para reforçar esse posicionamento, a Strat, a agência de publicidade a assinar esta acção de comunicação da marca, transpôs para o ecrã momentos reais da vida das pessoas, que vão desde a ida ao cinema até à praia ou a uma festa. Para alcançar o realismo pretendido, o filme é protagonizado por pessoas que foram escolhidas nos pontos de venda da marca e nas ruas do Porto. A campanha é composta por três filmes que pretendem chegar a públicos diferenciados, desde os jovens até aos mais velhos."

Irina Werning

É a fotógrafa argentina que "voltou" ao futuro. 

FLOR, MALE, SIL IN 1983 & 2010 

LUCIA IN 1956 & 2010, Buenos Aires

Lulu & G in 1980 & 2010, Buenos Air 

TOMMY IN 1977 & 2010, Buenos Aires

CECILE IN 1987 & 2010, France

Um dos ensaios mais extraordinários é o "Back to the Future I", onde Irina Werning retratou as pessoas com os mesmos cenários, acessórios e poses.

O sucesso do primeiro trabalho foi tão grande que voltou, em 2011, a fazer um novo ensaio de "Back to the Future II".

Lea B 1980 & 2011 Paris

Juan Carlos 1982 & 2011 Buenos Aires 

Fer 1981 & 2011 Buenos Aires

Daphne 1986 & 2011 Paris 

Seba 1986 & 2011 Patagonia 

Alexandra 1970 & 2011 Paris 

Todas as imagens retiradas do Site de Irina Werning

Não julgar !!

... é o caminho para a mudança.

Durante a conferência que assisti na 14ª. Feira do Empreendedor, revi este vídeos e realmente é verdade somos demasiado rápidos a fazer julgamentos ...

Estes vídeos são da Ameriquest Mortgage Company e mostram vários exemplos porque não devemos julgar os factos de forma tão rápida.









sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Workshop

... de fotografia digital.



Iniciou no sábado passado em Sta. Maria da Feira, uma manhã de sábado bem passada na companhia de alguém bastante experiente na captação de imagem :) falo do Manuel Azevedo fotógrafo há 30 anos.

Foi com ele que este Workshop, promovido pela Casa dos Choupos, iniciou. Depois de algumas explicações sobre o funcionamento dos equipamentos saímos para as imediações do Rossio na Feira e subimos ao Castelo, sempre de máquina em punho prontos a disparar. Foram feitas experiencias de velocidade e aberturas ... tivemos ao dispor dois jovens modelos, de inicio algo envergonhados mas que ao final da manhã estava quase profissionais !! :)

Amanhã vamos ter o último dia do Workshop, onde eu irei entrar em cena !!! Pois é vai ser o momento de ensinar a proceder à edição das imagens captadas no sábado passado. Vão ser 3 horas a explorar o Adobe Photoshop com os participantes deste Workshop.

Algumas fotos de sábado, da nossa jovem modelo, registas e tratadas por mim. Vou deixar o antes e o depois da edição com o Adobe Photoshop.






... a nossa linda modelo :) 

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Imagens que falam ...

Qualquer imagem publicitária, mesmo a mais idiota, tem uma significação sócio-política. Não há imagens que não tenham uma mensagem, uma significação. 
Oliviero Toscani



O fotógrafo Oliviero Toscani tornou celebres as campanhas publicitárias do grupo Benetton, nas décadas de 80 e 90 do século passado. Pois criou imagens de grande impacto visual, muito polémicas e provocadoras, as quais são impossíveis de esquecer. Lembro-me de várias , uma delas de uma freira sedutora, com o seu hábito branco a beijar um jovem padre de batina preta.

Nas suas campanhas, a marca italiana deixava o produto em segundo plano para se focar num conceito de modernidade da marca, através de imagens que exploravam temas tabu.

Oliviero Toscani e a United Colors of Benetton desenvolveram campanhas publicitárias com temas ligados à liberdade sexual, à sida, às questões raciais.

Deixo aqui, para recordar, algumas das imagens que não esqueci.












UnHate

"O ódio não cessa com o ódio em tempo algum, o ódio cessa com o amor" - Sutta Pitaka


Na nova campanha mundial de comunicação, a United Colors of Benetton convida os líderes e os habitantes do mundo a se oporem à “cultura do ódio” e cria a Fundação UNHATE Ponzano, 16 de novembro de 2011.

O ódio não cessa com o ódio em tempo algum, o ódio cessa com o amor. Esta profunda e humana ideia de tolerância resume os princípios inspiradores da CAMPANHA UNHATE que a Benetton criou com o objetivo de se opor à cultura do ódio, promovendo – com uma chamada global de ação e com as mais inovadoras ferramentas de comunicação – a proximidade entre os povos, crenças, culturas e a compreensão pacífica das razões dos outros. A campanha mundial de comunicação UNHATE, primeira iniciativa da recém-constituída e homónima Fundação, foi apresentada mundialmente por Alessandro Benetton, vice-presidente executivo do Benetton Group, a 16 de novembro, em Paris, na Flagship Store do Boulevard Haussmann.
“Se o amor global continua a ser uma utopia ainda que com partilhável, o convite a ‘não odiar’, a se opor contra a ‘cultura do ódio’, representa o objetivo ambicioso, mas realista – explica Alessandro Benetton. Com esta campanha decidimos dar visibilidade mundial a uma importante ideia de tolerância, para convidar os cidadãos de todos os países, em um momento histórico de grandes turbulências e não menores esperanças, a refletir sobre como o ódio nasce, sobretudo, do ‘medo do outro’ e do que não se conhece. A nossa campanha é universal e utiliza instrumentos como a web, o mundo das mídias sociais e a imaginação artística. É também única porque chama para a ação aqueles a quem se dirige, ou seja, os cidadãos do mundo. Ao mesmo tempo, insere-se plenamente nos valores e na história da Benetton que – escolhendo temas sociais e promovendo ativamente causas humanitárias que, contrariamente, não teriam tido a possibilidade de serem comunicadas em escala global – deu sentido e valor à própria marca, construindo um diálogo duradouro com as pessoas do mundo.” 
O projeto de comunicação UNHATE inclui uma série coordenada de iniciativas e eventos que terão início no dia 16 de novembro nos principais jornais e sites do mundo. O tema central é o beijo, o símbolo mais reconhecido do amor, entre líderes políticos e religiosos do mundo, por exemplo: Barack Obama e o líder chinês Hu Jintao; o Papa Bento XVI e Ahmed Mohamed el-Tayeb, imã da mesquita de AL-Azhar no Cairo (o mais importante e moderado centro de estudos islâmico sunita do mundo); o presidente da Autoridade Nacional Palestina Mahmoud Abbas e o primeiro-ministro de Israel Benjamin Netanyahu.



Benetton retirou a fotomontagem com papa a beijar imã do Cairo, 
após protesto do Vaticano, que afirmou que uso da imagem manipulada do papa era 'inaceitável'

Trata-se de imagens simbólicas de reconciliação, com um toque de esperança irónica e provocação construtiva, para solicitar uma reflexão sobre como a política, a religião e as ideias, mesmo que diferentes e contrapostas, devem, todavia, levar ao diálogo e à reflexão. A nova campanha, a criação da Fundação e as outras iniciativas do projeto UNHATE testemunham a vontade da Benetton de ser propulsora do desejo de participação e mudança que anima os cidadãos do mundo, e sobretudo os jovens, convidando-os a ser protagonistas ativos nas suas iniciativas, principalmente por meio da internet, das mídias sociais e de outros aplicativos digitais. É mais um passo adiante da comunicação Benetton que visa à atuação e à ação de todos, em nome de uma democracia “ampliada” e aberta, sem limites físicos, políticos, sociais ou ideológicos.

As imagens estão disponíveis no site http://unhate.benetton.com.
Related Posts with Thumbnails